Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2018

Fui publicada!

Hoje venho falar sobre coisas diferentes.
Ou nem tanto. Primeiramente, como o tempo passa! Passa rápido, tão rápido que nem parece que foi tanto assim. Comecei a escrever bem cedo, mas foi em 2009 que eu resolvi fazer um blog, que foi ativo muitos anos, até que eu não consigo mais acessá-lo hoje em dia por problemas técnicos (esqueci a senha e aquele e-mail é MUITO antigo, mas aceito ajuda se alguém puder me dizer o que fazer).  Depois de alguns anos sem, voltei para a bloogosfera com o querido Little Wings, e sigo escrevendo, mesmo que entre trancos e barrancos, e postando por aqui. Ao longo do tempo, fui percebendo que a Poesia não está só nela, mas sim em todas as coisas. Percebi, então, que a mente humana também tem suas rimas, e que eu posso tentar descobrí-las, por isso estudo Psicologia, com alguns focos que preciso ainda desbravar um pouco mais.  Nesse meio de campo, transformei um trabalho em um possível artigo, que mandei para o site Brasil Escola para ser avaliado e public…

o enigma de mim mesma

Não gosto de gaiolas, gosto de ter espaço pra voar mesmo que eu resolva me demorar. Gosto de ser entendida, mas não adivinhada, o meu livro não é para todos, ele mal é pra mim. Sou apenas uma personagem  com caprichos, vontades e muitas eternidades. Gosto dos meus gostos e desgosto dos meus desgostos Faço coisas por impulso, e em outras penso bem, você é vários e eu também. Gosto de voar, mas preciso ter onde descansar, e se isso não é possível, só me resta aceitar, e, quando der, mudar. Pois onde não posso ser inteira, não me demoro. "Decifra-me ou te devoro."


Trevas

Comecei e apaguei várias vezes esse post.
É difícil escrever o que o mundo começou a perder ontem. É difícil descrever o que o mundo sente. É muito difícil falar do incêndio que comeu o Museu Nacional do RJ na noite de O2/O9/2O18. Assim mesmo, com a data em destaque, pra não cair no esquecimento, como o museu, infelizmente, já havia caído na mente de quem deveria cuidá-lo, e, até mesmo, de algumas que não tinham exatamente esta obrigação, mas nem se lembravam da sua existência. O descaso estava se instalando em torno da situação, da falta de verba, de cuidado e de amor que pairava naquela atmosfera de passado querendo influenciar o futuro. Tive a (muitíssimo) feliz oportunidade de visitar o Museu em 09/2015 (olha que coincidência), e ver com meus prórpios olhos um dos lugares mais lindos e gostosos de se visitar que eu já fui, pode não ser muito se a gente colocar em devidas proporções, mas pra mim, poeta menor, foi, e foi muito mais que muito. E, mesmo há 3 anos atrás, mesmo com mui…