terça-feira, 10 de junho de 2014

No Mundo


É duro sentir que não pertence a lugar nenhum.
É que eu amo esse lugar, mas ainda não me achei nele. E tenho medo de passar a vida sem me achar. Será que eu tenho medo da resposta?
Queria que meu lugar fosse que nem poesia, e me achasse mais dia menos dia, queria esse lugar um dia me cutucasse e dissesse:
-Ei, psiu! Vem pra cá!
Eu sei que nada cai do céu, mas eu não sei onde procurar. Será que o céu não quer chover pelo menos uma pista? Minha cabeça deu um nó, não sei o que fazer...
É que é duro não se sentir encaixado em lugar nenhum. Eu sei que eu sou uma peça de um quebra cabeça, mas de qual desenho? De repente eu descubro quando os planetas se alinharem dentro de mim.
Vivian Pinto

Um comentário:

Bípede Implume disse...

Olá Vivian
Gosto muito do que escreve.
De repente fiquei a pensar nessa interrogação planetária.
Onde é mesmo o meu lugar? Filosoficamente, bem entendido.
Beijinhos