terça-feira, 1 de julho de 2014

Eus


Sentimentalismo é tema constante por aqui. Talvez seja porque eu penso demais, e lembro demais, e sinto muitas saudades. Eu ia falar que sinto demais, mas não sei se sentir tem medida. Olhei pro eu de anteontem e imaginei o que eu pensaria se me imaginasse como sou hoje, se eu poderia prever tudo que me aconteceu e se eu poderia sonhar tudo que ainda sonho.
Certamente não gostaria de tudo, assim como nunca gostei e não sei se um dia gostarei, mas acho que ficaria satisfeita com algumas coisas. Tipo meu cabelo, sempre quis cabelo roxo. Tipo estar na faculdade, e estar trabalhando com algo que eu gosto. E também ter voltado a escrever.
Acho que eu talvez não gostasse de ter engordado, de ter chorado, de ter me descabelado e de ter errado. E também não entenderia o eu de hoje ser tão mais contido em revelar seu coração. Mas eu de anteontem perdoaria erros, porque eu achava que sabia que com erros a gente aprende. E e eu de hoje certamente pararia pra pensar no assunto e concordar.
É, acho que ás vezes ingenuidade é sabedoria.
Eu também ficaria feliz de ver que alguns sonhos não mudaram em nada, e ficaram mais presentes no meu coração. Por outro lado, talvez eu não gostasse de perceber que certas coisas nunca mudam, como por exemplo o fato de eu ser sensível e chorona demais. Sabia que eu to chorando enquanto escrevo? É, certas coisas nunca mudam.
Ah sim, eu olharia anteontem pra mim e gostaria muito de ver que eu continuei a escrever, mesmo que não com a frequência de sempre. E também ficaria satisfeita em provar pra mim mesma que escrever faz parte de quem eu sou de verdade.
Acabei de sorrir. Sabe por quê? Por que o eu de anteontem com toda certeza amaria ler esse texto. E com certeza todos os meus outros eus vão amar um dia.
Sobre o fim do orkut :( e o impacto que as fotos antigas (tipo essa do post) me causaram haha

Um comentário:

Bípede Implume disse...

Olá Vivian
Este seu texto vem mesmo a propósito dos vários "eus " de Fernando Pessoa que também preenche todo o meu mundo de poesia. Aquelas flores são realmente buganvílias.
Olhe o Brasil já marcou. Estou a seguir atentamente... e torcendo.
Beijinhos
Isabel