sexta-feira, 13 de março de 2015

Não espere


Não espere de mim racionalidade, maturidade, não espere que eu seja sempre fria e analise minha situação como se não estivesse dentro dela. Não espere que eu não sonhe, e muito menos que eu não realize. Não espere que eu seja sempre forte, não espere que eu não chore, que eu não demonstre. Não espere que eu não me preocupe, mas também não espere que eu me controle.
Sou tudo que há dentro de mim, então não espere sempre coerência, não dá pra ser sempre tudo ao mesmo tempo. Não espere que eu não me arrependa, e que eu não vá pedir desculpas. Não espere que eu não me irrite e nem que não irrite você. Não espere nada que não tenha a ver com meu coração. Que poeta seria eu se só seguisse minha cabeça?


6 comentários:

Gugu Keller disse...

O mais sensato é esperar sempre o inesperado.
GK

Bípede Implume disse...

Olá Vivian
Neste momento estou a viver fora de Lisboa e perto da Ericeira. Tem praia e tem muita natureza. Essas flores são do meu quintal.
Deste blog só espero beleza.
Tanta sinceridade só pode vir de um coração livre.
Tá aí, é só seguir em frente com suas asas... mas volte sempre.
Beijinhos

ticoético disse...

Que belo poema,minha-mais-que-querida,eu espero é que permaneça bela,de mente e dr coração,pois no fim,é só o que importa.
Abraço!

Simone Lima disse...

Nós somos de sentir muito e pedir que não sintamos é impossivel. Quando há intensidade, não tem como ser diferente!!
Gostei muito do post!!

Bjo'o

Gabriela Castro disse...

Agir com o coração é meu lema! :) bjs

Cecília Vicente disse...

*Bip* Já foi o bip? Tá gravando?!?

Tão bom sentar e conversar por aqui novamente, porque te ler é como sentar e conversar vendo a tarde passar.
Sabe, senti saudades!

Minhatantan nunca perca isso, mesmo que esperem algo de nós e nós também acabe esperando algo de algumas pessoas, ouça a voz do coração e continue a poetizar.

Com carinho,
Cecí :)